Desbravando Fronteiras

Ao longo dos anos, Mestre Bogado passou a documentar seus estudos e encontros com outros capoeiristas de renome, historiadores e pesquisadores, absorvendo cada informação, filtrando o que era “causos” de “fatos” e passou a moldar a Apostila da Associação de Capoeira Barravento.

Essa apostila “que estava viva” era corriqueiramente atualizada a medida que uma evidência nova surgia.

Detentor de um grande saber e em vários momentos da vida, estando em uma posição de extrema responsabilidade dentro das federações ou confederações, foram muitos os convites e propostas para que Mestre Bogado expandisse o território de atuação de sua Associação, porém, seu pensamento tinha um objetivo maior, para ele, era a capoeira que deveria crescer e expandir.

Criterioso, ele recusou muitos convites para liderar ou formar novos núcleos da Associação ou apadrinhar grupos. Ele se achava mais útil sendo um mentor, um indicador para a boa conduta da capoeira e suas tradições, e assim, ao invés de absorver capoeiristas, ele preferia ajudar os mesmos a montarem a base de suas estruturas para formar seus próprios grupos.

Foram dezenas e dezenas de grupos formados com os indicadores do Mestre Bogado na esfera nacional e internacional, o estatuto da Associação de Capoeira Barravento serviu de base para muita gente, assim como a sua apostila.

Mas muitas pessoas a princípio estranhava as recusas do Mestre, só vindo a entender seu significado mais tarde, como segue o comentário abaixo:

“Ele afirmou que não tinha ambição alguma para nos liderar, mas faria o que pudesse para nos ajudar a aprender e crescer.
Eu perguntei sobre qual seria o custo-benefício... Sua resposta foi ainda mais bizarra para mim. Mestre Bogado sorriu ironicamente e disse: - Nada, apenas aprenda, contribua e cresça". - Mestre Estivador (África do Sul)


A partir da década de 90 ele iniciou suas viagens para diversos países, sempre contribuindo por onde passava. Fez amizades de várias nacionalidades. Mas de todos os lugares que passou, certamente o continente Africano sempre teve um significado diferente em sua vida, pois lhe despertava uma grande alegria e satisfação.

« Página anterior      Próxima página »