O Jovem Evaldo Bogado de Almeida

Evaldo Bogado de Almeida, nasceu na cidade de Niterói, no então estado da Guanabara, no dia 23 de fevereiro de 1944. Filho de Orlando Leite de Almeida e Ondina Bogado de Almeida, sendo o mais novo de 4 irmão, teve uma infância sadia e saudável entre os bairros de Icaraí e Santa Rosa, ou mais precisamente na rua Gen. Silvestre Rocha, 138.

Sua primeira lembrança sobre aspectos de luta se remete aos 5 ou 6 anos de idade, aonde se recorda de brincar com garotada da rua, jogando bola, soltando pipa e balões, e também de aplicar rasteiras e outros movimentos que ele nem imaginava que poderia ser capoeira.

A capoeira na verdade era algo desconhecido para ele e seus amigos, ele acreditava que isso se devia a proibição e perseguição a época.

Quando mais velho, foi levado por seus amigos para participar de um confronto com uma turma rival de seu bairro, e para provar seu valor para o grupo, seus amigos o fizeram a dar a primeira investida contra o escolhido da turma rival, que colocou um garoto maior para lutar. No entanto, apesar de seu porte pequeno, Evaldo derrotou seu adversário, e isso repercutiu, chamando a atenção de outros meninos.

Essa foi a primeira vez que Evaldo se envolvia em uma briga.

Após esse episódio ele passou a ser desafiado com frequência, o que o fez se tornar agressivo, exigindo que aquele garoto franzino aprendesse algumas técnicas para se defender e atacar. Então, observando outros meninos lutando, ele foi aperfeiçoando movimentos como rasteiras, esquivas, chutes entre outros. Mas ainda desconhecendo que aqueles golpes poderiam ser de capoeira.

Quando estava mais velho, sua mãe, preocupada com o futuro do filho agressivo, o levou a um psicólogo, que sugeriu que o menino deveria praticar alguma luta marcial para aprender a se acalmar e ter disciplina. Na hora sua mãe achou muito estranho, mas seguiu a sugestão do médico e o matriculou em uma academia de Jiu-Jitsu.

Em sua primeira visita na academia de Jiu-Jitsu, alguns alunos já o conheciam pela fama de brigão de rua e falaram isso com o Mestre. O Mestre ciente do fato, talvez querendo dar algum tipo de lição ao menino, chamou Evaldo no centro do tatame e pediu para que ele tentasse o derrubar. Evaldo achou estranho e rejeitou, mas o mestre insistiu para que ele fizesse o que estava sendo pedido.

Evaldo então se aproximou do mestre, tirou sua camisa e perguntou: “Você tem certeza, mestre?”

O mestre respondeu que sim. Porém, para sua surpresa, imediatamente Evaldo desferiu um golpe, dando uma cabeçada em seu peito, fazendo o mestre cair sentado no chão.

A partir daquele dia Evaldo passou a treinar regularmente na academia de Jiu-Jitsu, participando de competições e desafios entre academias. Durante mais de 2 anos engajado em treinos e competições, passou a ser conhecido como Bogado e nunca foi derrotado. Acabou largando a prática do esporte ao conseguir um estágio de trabalho em uma instituição Bancaria.


RECONHECENDO A CAPOEIRA

A palavra capoeira já era conhecida de seu vocabulário, mas ver de fato o jogo da capoeira ainda não tinha acontecido. Não se ouvia bons comentários sobre essa luta e em seguida veio a ditadura militar no Brasil.

Assim, a primeira vez que Bogado viu a capoeira com os rituais que conhecemos hoje em dia, foi no Programa Capitão Furação na década de 60, um programa voltado para o publico infantil.

Damionor Ribeiro de Mendonça, após fazer uma exposição sobre aquários com água de mar em uma loja no Rio de Janeiro, que gerou grande repercussão na época, foi convidado para ir no programa e falar do assunto.

Damionor acabou voltando outras vezes ao programa, sendo que em alguns desses encontros ele levou crianças e adolescentes para fazer apresentações de capoeira, sendo uma coisa inédita para a época, em plena ditadura militar.

Quando Bogado assistiu o programa e viu as apresentações de capoeira, ficou surpreso por reconhecer muitos movimentos que ele fazia desde criança e passou a entender porque às vezes falavam que ele era capoeira, e ao mesmo tempo encantado ao ver o jogo da capoeira ao som do berimbau, isso despertou seu interesse para o que seria de fato a capoeira.

     Próxima página »